Método hanon

Técnica Hanon: Saiba tudo sobre como aprender a tocar piano

Você já ouviu falar na técnica Hanon?

 

Você consegue tocar piano de forma rápida? Ainda não? Talvez porque esteja no início ainda, ou talvez porque não conheça a metodologia certa para desenvolver mais agilidade.

A técnica Hanon foi desenvolvida com esse propósito. Mesmo pianistas mais experientes buscam por métodos para tocar mais rápido, mas nem sempre conseguem obter êxito.

E por mais que possa soar absurdo para pianistas iniciantes, é preciso não só treinar a agilidade dos dedos como também fortalecer a musculatura. Porque tocar piano rápido não depende somente da velocidade dos dedos, mas também de agilidade, precisão e preparo físico para aguentar muito tempo com os dedos se movimentando rapidamente em uma mesma posição.

É claro que quanto mais tempo uma pessoa estudar, melhor ela ficará. Mas nem sempre a agilidade e a precisão dependem exclusivamente de horas e horas de estudo. Técnicas podem ajudar, às vezes. E é sobre isso que falaremos abaixo!

 

O que é a técnica Hanon?

Charles Louis Hanon foi um pianista e compositor que viveu na França durante o século XIX.

Esse método foi criado com o intuito de criar mais agilidade nos dedos na hora de tocar piano. Se você quer aprender a solar ou mesmo tocar mais rápido, é muito válido dedicar algumas horas do dia estudando a método Hanon.

São exercícios desenvolvidos com o propósito de aumentar a agilidade dos dedos. Ele é mais indicado para quem já está em um nível intermediário, e pode ser utilizado tanto por quem toca piano quanto por quem toca teclado ou órgão.

A melhor maneira de estudar um Hanon é de forma gradual e lenta, sem querer dar um passo maior do que a perna. É um momento onde o aluno deve estudar com calma para corrigir os pequenos erros de postura que podem se tornar um vício com o passar do tempo.

Aproveite para corrigir a posição dos dedos e da mão, jamais permitindo que a faca da mão repouse sobre as teclas quando sentir ela cansada. Não force seu corpo, mas pratique um pouco todos os dias até fortalecer mais a região.

O ideal é tocar os exercícios com um metrônomo marcando 60 BPM. E caso você sinta algum desconforto, pare de tocar e descanse um pouco. Não é normal sentir dores com frequência.

Existem muitas variações do Hanon que podem ser tocadas em tempos diferentes. Você pode ajustar o metrônomo de modo que ele fique mais rápido também.

Caso você não consiga seguir o ritmo, pare. Não é necessário atingir super velocidade logo no início do treino. Diminua um pouco a velocidade em 8 BPM (o recomendado é diminuir ou subir de 8 em 8) e continue o exercício de modo que suas mãos não se cansem muito.

 

Qual é o objetivo do exercício?

O objetivo é que todos os dias você aumente um pouco mais a velocidade de 8 em 8 BPM e estude diferentes variações do Hanon de modo que fique cada vez mais ágil e veloz na hora de tocar piano.

Esse exercício funciona de mesmo modo como para um maratonista. Ninguém começa correndo 42 quilômetros logo no primeiro mês de treino.

Você pode variar os exercícios mudando os tons, começando, por exemplo, em Dó maior e mudando para Ré sustenido, ou Sol maior. Aproveite para treinar todas as tonalidades possíveis enquanto aumenta a agilidade de seus dedos.

Seguindo esses exercícios, você perceberá que com o passar do tempo sua cabeça vai pensar de maneira automática na hora de dedilhar uma escala, música ou mesmo de improvisar alterando entre tons e semitons. Não deixe de estudar pelo menos de duas a três horas por dia!

 

curso de piano e teclado

Curso de Piano: 4 dicas rápidas para melhorar as técnicas no piano

4 dicas rápidas para melhorar as técnicas no piano

 

Tocar piano é uma arte. E como você bem deve saber, não se apressa a arte. Entenda que por mais ansioso que você possa estar, não se aprende a tocar piano em uma semana.

Portanto, tenha calma e foco nos estudos. E, para ajudar você com isso, daremos hoje quatro dicas rápidas para que a sua técnica melhore na hora de tocar. Vamos lá?

Você já tentou fazer algum curso de piano? O curso de piano e teclado Academia das teclas é um método eficiente e avançado de ensino online. Conheça mais.

 

  1. Toque olhando para frente com a coluna ereta

Manter uma postura ereta é muito importante para quem está aprendendo piano, para acostumar o corpo desde cedo, evitar problemas de coluna e melhorar o desempenho durante a prática.

É importante para o pianista, assim como para uma atleta, desenvolver uma noção sobre o próprio corpo em relação ao espaço que ele ocupa. É importante observar a posição não só do próprio corpo como das mãos também. A importância em prestar atenção na própria postura está relacionada também à confiança que o músico precisa desenvolver para tocar.

 

  1. Use um metrônomo para praticar seus exercícios

Não é recomendado usar sempre um metrônomo para tocar suas músicas. É importante que durante o processo de aprendizado você deixe a música fluir naturalmente até que possa criar a sua própria metodologia.

Porém, na hora de praticar escalas, principalmente para quem ainda está iniciando, é muito importante utilizar um metrônomo para que elas não fiquem desiguais, o que é normal para a maioria dos pianistas iniciantes.

Porém, use com moderação. Não é necessário e nem recomendado se basear sempre nele. Algumas vezes são necessárias mudanças sutis nas escalas, no tempo e no modo de tocar.

Então, tente se regrar para tocar escalas, mas deixe que flua naturalmente na hora de tocar músicas.

 

  1. Não force

Se você começar a forçar sua própria barra na hora de aprender a tocar piano, de modo que seu corpo e sua mente ainda não sejam capazes de responder, pode ter certeza de que você causará mais prejuízos do que qualquer outra coisa.

O modo ideal de aprender é começar tocando escalas musicais de maneira calma e paciente. Se você colocar muita tensão em cima dos exercícios, seus dias como pianista estarão contados, porque você não vai conseguir desenvolver técnica suficiente para migrar de escalas para músicas.

Simplesmente não force nada. Comece devagar e continue assim até que você esteja se sentindo preparado para o próximo nível.

 

  1. Utilize as teclas pretas no início do aprendizado

Você talvez ainda não tenha reparado, mas as teclas pretas são posicionadas em um piano de forma que a mão de um pianista alcance as teclas de maneira natural, já que elas são um pouco mais curtas e os dedos mais compridos não precisam fazer esforço para alcançá-las.

Hoje, é difícil que os alunos comecem tocando a escala em C maior, utilizando as teclas pretas que tocam os acidentes das escalas musicais. Isso porque essa escala é mais difícil de ser tocada (utilizando acidentes), mas promove uma melhora na percepção da posição das mãos e no cognitivo do aluno.

É normal que não seja a escala mais utilizada por iniciantes. Grandes pianistas da história tinham dificuldade para tocar em C maior, e afirmavam que eram as escalas mais difíceis de serem tocadas.

 

Recomendamos ainda que você comece a praticar as escalas em todos os tons, migrando de uma para outra até que possa desenvolver um bom domínio sobre elas.

Utilizando as dicas que passamos aqui hoje, em pouco tempo você mudará sua percepção sobre como funciona o piano e o modo de tocar. Trabalhando de maneira consistente todos os dias, praticando e estudando, em pouco tempo perceberá sua evolução!